Dra. Roberta França - Geriatra Barra da Tijuca

+55 (21) 2104-9572

Av. Luís Carlos Prestes, 410 Sala  321
Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ,

Dia do Médico

18/10/2018

 

E HOJE, 18 DE OUTUBRO, DIA DO MÉDICO DEIXO MINHA REFLEXÃO.

 

Esses anos de luta me fizeram pensar... acho que nunca falamos sobre isso... 

Não é por mal, tenho certeza!  Diante da dor, doença ou morte quem vai se preocupar com o que o médico está sentindo ou pensando? 

Quem se lembra da humanidade que existe por traz de todo jaleco? 

As vezes nem nós mesmos!

 

Pode parecer estranho ou espantoso mas o médico sofre... sofre de medo do que a família está pensando... sofre de insegurança pelas decisões que precisa tomar... sofre pelos conflitos da morte inexorável... sofre por não ter sido preparado para" perder"... sofre por sua prepotência assumida e também atribuída... sofre por sua vida tão restrita em qualidade real... sofre de tristeza... e acima de tudo sofre por sua profunda solidão!

Somos cuidadores da doença alheia e parece que é tão natural um médico cuidar que jamais nos perguntamos quem cuida desse médico. 

 

A medicina é uma profissão única mas que carrega em si um peso tão grande quanto a cruz. Todos olham pra nós com a certeza de uma história de sucesso... parece que morrer não é natural e todo paciente que se vai é quase uma condenação pela salvação que não aconteceu!

 

Não parece algo pesado demais? 

Existe na própria universidade uma prepotência presumida mas claramente é também atribuída por toda a sociedade.. " você não vai fazer nada?" Você não vai salvá-lo? Como você pôde deixa- lo morrer? São questionamentos que todo médico já ouviu... e sofreu... e doeu... e ele não pode gritar.

 

Não há permissão para dizermos:

"Eu fiz tudo mas a vida caminha junto da morte"...

"Não há possibilidade de salvar todos"....

"A morte também é um processo"...

Ninguém quer ouvir!!!

 

Não acho que seja culpa de ninguém...

Crescemos e aprendemos que o médico salva,  O médico cura!

Hoje deixo minha reflexão...

O médico não salva sempre.

O médico não cura sempre.

 

Somos a mão que conduz pelos caminhos da doença em busca da cura.

Somos as mãos que conduzem a dor em busca do alívio.

Somos o coração que acredita acima de tudo.

Somos a busca incessante de um final feliz... para todos!!!

 

Claro que há médicos e médicos, mas há pessoas e pessoas, há profissionais e profissionais em toda área e em qualquer lugar!

Não faço julgamentos, faço reflexões.

 

Olho para minha própria história, cheia de vitórias, derrotas, perdas e ganhos. 

Tem sido uma grande jornada de lutas e aprendizados mas acima de tudo uma linda história de amor.

 

Eu, a medicina, os pacientes, as famílias.

Cada um que chega deixa uma história. Cada um que vai deixa seu valor.

Eu sigo meu caminho na certeza que faço meu melhor.

Eu choro, rio, grito.

Sem vergonha e sem máscaras.

 

Sou médica sim... 

Sou geriatra sim..

Mas acima de tudo sou humana até o fim

Muito prazer !

Sou Roberta

Também conhecida como 

Dra Roberta França

 

Dra Roberta França 
Medicina Geriátrica 
De Corpo e Alma 
www.geriatrarobertafranca.com.br

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Demência Vascular - O que você Precisa Saber

06/25/2019

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo